UA-148377723-3
top of page

Passo a passo para você implantar IoT em seu negócio

Atualizado: 28 de jun. de 2023


Homem com um tablet em suas mãos e elementos gráficos sob a imagem que remetem à implantação de IoT em seu negócio
Passo a passo para você implantar IoT em seu negócio

Você já deve ter ouvido falar sobre Internet das Coisas (IoT) e os benefícios que ela oferta para diversos setores, mas sabe como implantar IoT em seu negócio? Quais equipamentos e comunicação escolher? Fique comigo que vou te contar o passo a passo para definição da sua arquitetura IoT, desde a identificação dos dispositivos inteligentes até a escolha da sua plataforma IoT para a gestão de dados.


O que é Arquitetura IoT?


Antes de começarmos essa conversa é importante lembrar que a arquitetura básica de uma solução de IoT é composta pelas “Coisas”, ou seja, os equipamentos físicos alocados em campo; a “Comunicação” e um “App IoT para a gestão de dados”. A escolha de cada um desses pontos da arquitetura é essencial para o sucesso da solução, e deve ser realizada analisando minuciosamente as nuances de cada projeto. Então, vamos lá, é hora de entender melhor como implantar IoT em seu negócio.

1º passo: As “Coisas” de IoT


Em IoT chamamos de “Coisas” os dispositivos físicos que estão em campo, os sensores, atuadores, unidades microcontroladoras, são os dispositivos que alimentam a rede com informações.

As vezes as “Coisas” de um determinado processo já estão em funcionamento em campo, porém, não são dispositivos inteligentes, que possibilitam o processamento e tráfego de dados pela internet. Nesse caso, o uso dos chamados gateways é necessário. Esse equipamento é responsável por prover conectividade para os sensores e atuadores em campo.


Já em outros casos há equipamentos que já possuem unidades de processamentos embarcadas, comunicando diretamente com a nuvem. Isso torna a arquitetura do projeto mais simples e exclui a necessidade de implantação de outros equipamentos.


Para a escolha das “Coisas” existem alguns pontos importantes, como a possibilidade de armazenamento no próprio gateway, dessa forma a escolha do equipamento deverá ser do tipo datalogger. A autonomia energética também é um ponto de destaque, já que em alguns casos de uso não há fonte de energia próxima a solução, nesse cenário os dispositivos de baixo consumo são essenciais.


2º passo: Comunicação


Nesse processo de entendimento sobre como implantar IoT em seu negócio, outro ponto muito importante a considerar é a Conectividade. Os dispositivos devem ser capazes de se comunicarem, ou seja, enviarem dados para a plataforma IoT de gestão escolhida. Por isso, # ficaadica: considere a escolha de uma plataforma IoT que se conecte à diferentes protocolos de comunicação, isso facilitará a sua vida!


Mesmo que a escolha de cada um dos itens da arquitetura esteja descrita, nesse passo a passo, de forma individual, devemos olhar para a solução na sua totalidade.


Pois bem, agora você deve estar se perguntando: como conectar esses dispositivos?

Há várias possibilidades para a escolha da rede de comunicação. Ressalto que ela deve ser realizada de acordo com as características do cenário, como localidade, cobertura e tráfego de dados.


As redes mais conhecidas são Wi-Fi, 3G/4G e Ethernet. Para casos onde há mobilidade do dispositivo, uma boa possibilidade pode ser redes 3G/4G. Enquanto para uma aplicação local em que já há cabeamento, nada melhor que usufruir de uma infraestrutura pronta como a Ethernet. Porém, se você tem preferência por tecnologia Wireless escolha o Wi-Fi.


As redes de Low Power Wide Area também ganharam destaque em diversas aplicações de IoT. Tratam-se de redes de longo alcance, podendo atingir até 50km em campo aberto e com grande autonomia de energia, com baterias que podem chegar a durar 10 anos com uma única carga. Outra novidade que promete transformar o universo IoT é o 5G. Já implantada no Brasil, a 5ª geração de redes móveis trará diversos ganhos através da mMTC - comunicação massiva de máquinas.


Há também a possibilidade da escolha de uma rede privada, onde os equipamentos comunicam de forma independente, sem a necessidade de ter uma rede pública disponível.


3° passo: Desenvolvimento do app IoT


Aqui, vale destacar que do momento de recepção dos dados em uma plataforma, até a visão de todos os indicadores do seu negócio na tela, existe um longo caminho. Esse processo inclui diferentes etapas: gerenciamento de dispositivo; segurança de dados; provimento de nuvem; desenvolvimento de algoritmos; análise de dados; BI; entre outras.


Para o desenvolvimento interno de uma plataforma que possibilite a criação de um app IoT, é demandada uma equipe multidisciplinar e especialista, que é sinônimo de altos custos. Por isso, é muito importante escolher uma plataforma IoT de mercado que reúna todos os serviços citados, com funcionalidades que se adequam às necessidades específicas da sua empresa.


Nessa definição avalie a usabilidade, dê preferência a plataformas low-code: plataformas que requerem pouca ou nenhuma codificação para construção de aplicativos, a possibilidade de personalização e escalabilidade da plataforma. Busque informações sobre a empresa que desenvolveu a solução e como é ofertado o suporte ao cliente. Assim, você evitará diversas dores de cabeça.


Bem, agora que você já sabe um pouco mais sobre as etapas dessa jornada de como implantar IoT em seu negócio chegou o momento de estruturar o seu projeto e buscar pelos melhores parceiros!


Deixo aqui um convite, conheça a thingable! Nós simplificamos a adoção de IoT! Converse agora mesmo com um dos consultores comerciais!


Para te ajudar com a definição da sua arquitetura IoT a empresa oferta os serviços de consultoria em todo o projeto. E conta ainda com uma equipe de especialistas em IoT que apoiará você, e seu time, desde a definição de sensores para o monitoramento de dados, até a análise das informações e automação das atividades, por meio da criação e oferta de soluções IoT completas e personalizáveis, desenvolvidas na plataforma IoT low-code thingable!.




bottom of page